25 de novembro de 2010 Tag:

Quando o barato sai caro

Esse post analisa produtos de qualidade x preço, quando o barato sai caro e as questões da relatividade do valor. Algumas marcas são mais inviáveis do que possamos imaginar, simplesmente por ser descartável.

Teve uma época que eu era muito ligada a marca, principalmente moda mineira, valorizava Vide Bula, Divina Decadência, as marcas Jeans no auge dos anos 90 em BH. Só que além de pagar pelo produto, pagamos a marca, e a qualidade do mesmo, o que vale a pena pela durabilidade.

Depois eu mudei radicalmente, motivada pela facilidade dos importados da china, do tecido barato. Sou 8 ou 80, e foi aí que comecei a comprar roupas, bolsas e sapatos que eram assim tipo “descartáveis”.

Eu era induzida pelo discurso de que não vamos querer usar nada por muito tempo, o que vai totalmente contra meio ambiente, sustentabilidade e economia.

Quando o barato sai caro

Foi com isso que percebi o quanto me custava caro aquela peça “baratinha” e que preço é relativo.

1º) Quando uma roupa, bolsa, ou outro objeto qualquer, está muita velho,chegou a descosturar, rasgar logo nos primeiros dias. Infelizmente, não dá nem para doar para alguém, nem mesmo reciclar. Jogar no lixo! Vamos “entulhar” muito mais esse mundo.

2º) Depois que o “baratinho” estragou em menos de 06 meses e não tem conserto, só me resta comprar outra peça e no final fica o valor de algo de uma qualidade superior.

3º) Quando eu comecei a comprar os tais “baratinhos” fui seguindo a lógica de: – Para que eu quero uma peça que dure eternamente? Já que posteriormente vou querer renovar o guarda roupas? Pensamento programado pelo consumismo desenfreado, obsolescência planejada e por um comportamento de compra alienado.

A relatividade do valor é variável, se o produto é durável mesmo não usando é possível doar, reutilizar e nunca vai pro lixo.

abraços!

  1. Cassinha, eu tive um "chefe" que sempre repetia uma frase que acredito perfeita para a sua postagem: "A economia é a base pra porcaria"

    Bjs.

  2. Falou e disse: Seu chefe entende de coisas que não valem o nosso dinheiro.
    Abraços, Guará!

  3. Isso mesmo Cássia!!! muitas vezes o barato sai caro sim!!Se você pagou mais caro numa peça mas tem usado bastante ou mesmo vai passá-la para outra pessoa, ja valeu o preço que foi pago por ela.Quero ver então depois a matéria do brecho (adoro brechós!!!).Bjsss

  4. Ai Lu, Brechó é tudo de bom…. E o Santíssima então, é perfeito.
    E a Bolsa (fake) Puma nem foi tão barata, foi R$129,00 na época, mas, como eu amo bolsa grande quando eu vi, meus olhos brilharam no material de péssima "catiguria".

 

Deixe seu comentário