17 de setembro de 2013

Nem toda Cinderela usa sapatinho de cristal

Não importa qual é o modelo de sapato que você usa, toda mulher pode ser uma Cinderela. Encontrei uma imagem bem bacana no “Pinterest”, sobre a diversidade e nomenclatura de sapatos, então compartilhei na Fanpage do blog Abraço Mundo.

Como faço parte das mulheres que amam sapatos, resolvi postar aqui no blog também. É claro que o meu interesse por calçados é bem saudável, nada tão enlouquecedor quanto a personagem Amora da novela Sangue Bom. Aliás, quem assiste a novela sabe o real motivo do apego dela aos sapatos.

Os salto alto da Cinderela ou da Amora

Fonte da imagem: Viktoria love

Mas o que realmente me intriga é porque ainda tem mulheres usando sapatos que não se adequam a certos tipos de eventos. Ou seja, porque ir à Feira Hippie de Belo Horizonte ou para um show no parque, usando salto alto, onde o chão é todo de pedras desordenadas? É claro que não existem regras, exatamente por esse motivo não temos que sair só de salto. a elegância está em fazer boas escolhas, tem tanto modelo de sapato lindo e diferente. Que tal sair do óbvio?

Publicação by Abraço Mundo.

Qual é o modelo de sapato (acima) que você nunca pensou usar e gostaria de ter em seu armário?

abraços!

  1. Olá Cássia. Você sabe, também sou apaixonada por sapatos! Acho muito estranho essa mania das pessoas usarem sapatos inadequados em certos ambientes. Por exemplo: no meu trabalho, quando começa a fazer um pouco de calor, várias funcionárias vão de rasteirinhas e chinelos arrastando-os pelos corredores da Egrégia. Por outro lado, fui almoçar com a família no Rancho do Boi num domingo, local rústico e cheio de natureza, areia, terra e pedra e vi várias mulheres se equilibrando deselegantemente sobre saltos agulha.
    Bjos
    http://www.alessandrafaria.com

    • Pois é, tem lugares que uma rasteirinha fica super bem, como em um final de semana ou um evento de sábado ou domingo. Salto Alto foi feito pra festas, shoppings, almoço em local mais fino. Tudo bem que a vida é cheia de regras e podemos quebrar algumas, bem [Quem disse, Berenice?], mas né? Mais vale uma sapatilha e um pé perfeito, do que correr o risco de tombar do salto em ruas de pedras em BH.

 

Deixe seu comentário